O hematologista e as doenças do sangue

A hematologia é um ramo da medicina que faz parte das especialidades atendidas pelo Instituto Conquistense de Oncologia (ICON). O hematologista trata de doenças do sangue e, também, faz o transplante de medula, a indicação e acompanhamento da quimioterapia, além de tratamentos com transfusão de sangue que são prescritos e acompanhados por ele.

Dra. Daniele O’Dwyer é graduada pela Escola Bahiana de Medicina, fez residência em Clínica Médica, Hematologia e Hemoterapia no Hospital São Rafael em Salvador e é membro da Sociedade Brasileira de Hematologia e Hemoterapia. Ela quem acompanha os pacientes com problemas no sangue na Clínica ICON.

Para esclarecer um pouco mais sobre o seu papel junto aos pacientes e pessoas acometidas por tais problemas, Dra. Daniele O’Dwyer vai esclarecer algumas dúvidas sobre sua profissão.

  1. Do que se trata a hematologia?

Hematologia é o ramo da medicina que estuda as doenças relacionadas ao sangue, medula óssea e órgãos hematopoiéticos.

  1. Quais as principais doenças tratadas pelo hematologista?

As principais doenças são as anemias (falciforme, ferroprivas, megaloblásticas, autoimunes…), leucopenias, plaquetopenias (purpuras) hemofilias, distúrbios de coagulação
(como trombofilias), leucemias agudas e crônicas, mieloma múltiplo, doenças mieloproliferativas e linfomas.

  1. Quais os principais sinais de que uma pessoa pode ter alguma doença hematológica?

As alterações hematológicas são decorrentes da área afetada como fadiga, cansaço, indisposição quando decorrentes de anemias, infecções de repetição no caso das leucopenias, sangramentos ou tromboses quando relacionados a distúrbios plaquetários e distúrbio do sistema de coagulação, aumento de linfonodos que podem ser encontrados em linfomas ou leucemias, sudorese e febre podem estar relacionados a neoplasias ligadas ao sistema hematopoiético.

  1. Com que frequência uma pessoa deve realizar exames de sangue?

A frequência da realização de exames depende das comorbidades e idade de cada paciente. Hemograma, que é um exame de triagem, deve ser realizado anualmente, semestralmente ou com menor intervalo.

  1. Há necessidade de se consultar com um médico hematologista para exames de rotina?

Não. O hematologista é um especialista, logo é um médico referenciado por um colega quando se depara com alterações laboratoriais ou de exame físico com sintomas e sinais relacionados a problemas hematológicos.

  1. O fator genético é importante para o aparecimento de doenças no sangue?

Sim. Existem doenças que estão relacionadas ao fator hereditário como hemocromatose, trombofilias, hemofilia e anemia falciforme. Já outras podem ter o alteração genética, porém adquirida e não herdada.

  1. Existe alguma forma de prevenção de doenças no sangue?

Alimentação saudável, atividades física, cessação do tabagismo, aconselhamento genético, ausência de exposição a agentes agressores da medula como fertilizantes, agrotóxicos, cola ou feno. E, principalmente, procurar ajuda médica quando há alguns dos sintomas suspeitos de doença hematológica para que possa ser tratado o mais rápido possível.

Após responder todas as questões que lhes foram colocadas, Dra. Daniele O’Dwyer sinalizou: “A hematologia é uma área da medicina que precisa ser desmistificada, principalmente porque trata de doenças benignas e malignas. Então, quando você for encaminhado para o hematologista, não fique assustado pensando que é câncer, pois as principais doenças que tratamos são as benignas (anemias, aumento de ferritina, leucopenia e plaquetopenias)”. Diante disso, alertamos que cuidar da saúde é fundamental, mas evite o desespero. Ainda que esteja doente, uma mente tranquila pode auxiliar tanto no tratamento quanto nos resultados.