Câncer de rim: uma doença silenciosa

O Câncer de Rim é o crescimento de forma descontrolada das células renais. Estas células neoplásicas se dividem de forma contínua ocasionando massas no rim que podem atingir outros órgãos gerando metástases. As causas dos tumores renais ainda não foram completamente elucidadas. Em alguns casos, existe uma mutação do gene de Von Hippel Lindau que gera proliferação de vasos sanguíneos e das células tumorais. Existem vários fatores de risco como a história familiar de câncer renal, tabagismo, obesidade e pacientes em hemodiálise com múltiplos cistos renais.

Dentre os sintomas, estão sangue na urina, inchaço ou massa na região abdominal, dor constante no fundo das costas, cansaço em excesso, perda de peso e febre baixa constante. De acordo com o Hospital Sírio Libanês, 6% a 10% dos pacientes apresentam tais sintomas – apontados como dor no flanco, sangue na urina e massa abdominal palpável.

Como os rins são responsáveis pela regulação da pressão arterial e produção de eritrócitos, a alteração da pressão arterial e do número de eritrócitos no exame de sangue também são preocupantes. A grande maioria dos diagnósticos ocorrem de forma casual, o paciente realiza um ultrassom do abdômen para investigar uma outra doença e é visto um tumor renal. Neste caso, faça sempre um check-up em um clínico geral ou nefrologista para avaliar os exames e investigar como anda a saúde. Caso seja necessário, você será encaminhado ao oncologista.

O carcinoma celular corresponde a cerca de 90% dos casos desse tipo de câncer. Apesar de se desenvolver como uma massa única, ele também se apresenta com dois ou mais tumores em um dos rins ou simultaneamente em ambos. Esta doença também possui subtipos e é necessário identificá-los para o tratamento correto e compreensão do tumor enquanto uma hereditariedade genética.

O tratamento do tumor renal consiste na ressecção cirúrgica da lesão que pode ser realizada retirando todo o rim (nefrectomia total) ou retirada parcial (nefrectomia parcial). Em casos da doença avançada, são utilizadas drogas que inibem a formação de vasos sanguíneos ou que estimulam o sistema imune a combater o tumor.

Para o oncologista Leonardo Costa, “o câncer renal, quando o diagnóstico é dado de forma precoce, tem excelentes chances de cura, permitindo ao paciente uma vida normal. Naqueles que, infelizmente descobriram a doença metastática, várias drogas novas têm surgido nos últimos anos com melhores resultados e menores efeitos colaterais”. Portanto, o importante é estar atento aos sintomas, alimentar-se bem, não fumar e ir regularmente ao médico para que, assim, o diagnóstico possa ser precoce e a cura vir a acontecer.